Porto envolvido na criação de Corredores Saudáveis em bairros sociais europeus
14-12-2017
Financiado em 13 milhões de euros, através do Horizonte 2020, programa-quadro de investigação e inovação da União Europeia, o consórcio URBiNAT - Urban Innovative and Inclusive Nature, constituído por cerca de 30 parceiros de vários países, viu a sua candidatura aprovada no Concurso para Ações Inovadoras (Innovative Actions) na área das Cidades Inteligentes e da Sustentabilidade (Smart Cities and Sustainabilty).
Ao longo de cinco anos, o projeto vai investigar, desenvolver e implementar o que designa de "Corredores Saudáveis", suportado pelo catálogo de Soluções Baseadas na Natureza (NBS - Nature Based Solutions) que os parceiros transversais (universidades, instituições públicas, laboratórios e empresas - ver lista em anexo) têm vindo a desenvolver nos últimos anos. Nesse catálogo incluem-se soluções tecnológicas de impacto ambiental, metodologias inovadoras de participação democrática e inclusão; e alternativas económicas por meio de soluções de economia social e solidária.
Os "Corredores Saudáveis" serão construídos através de processos participativos no Porto, em Nantes (França) e Sofia (Bulgária) e, mais tarde, replicados nas cidades de Bruxelas (Bélgica), Siena (Itália), Høje-Taastrup (Copenhaga, Dinamarca) e Nova Gorica (Eslovénia), em parceria com municípios e universidades locais. O consórcio é complementado com parceiros iranianos e chineses, bem como observadores do Brasil, Omã, Japão e China, o que garante a partilha alargada de boas práticas e a replicação das soluções projetadas noutros contextos.
Em Portugal estarão envolvidas cinco instituições: o CES, como coordenador; a Câmara do Porto (através do Pelouro da Inovação e Ambiente) como cidade-líder na implementação de soluções baseadas na natureza; o Pelouro da Habitação e Coesão Social (através da empresa municipal DomusSocial), como entidade responsável pelos bairros sociais do Porto; o Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (CIBIO-InBIO), como parceiro local do Porto; a Universidade de Coimbra (com o CEIS20 e o Departamento de Arquitetura) para o desenho dos corredores saudáveis; e o Give U Design Art (GUDA), como dinamizador dos processos de participação.
O projeto propõe novos modelos de desenvolvimento urbano por meio de inovações no espaço público, promove a coesão social através de living labs, constituídos nas cidades, e amplia os seus efeitos no âmbito de uma comunidade de práticas e de partilha transversal de conhecimento. Assume como modelo processos de experimentação e inovação de metodologias, de co-design e co-implementação, e de interação entre conhecimentos científicos e saberes que emergem das comunidades locais.
Para além do CES (que gerirá um orçamento próprio de 1.240.651 euros), especializado em soluções de participação e inclusão, de regeneração do espaço público, culturais, de economia social e solidária e de emancipação social, o consórcio dispõe de especialistas em soluções de integração ambiental (de Portugal e Holanda), tecnológicas (de Espanha e Dinamarca) e de mercado (da Suécia e Alemanha).
No âmbito do projeto está prevista a criação do Observatório OURBiNAT que irá gerir e monitorizar os dados e análises produzidos ao longo do projeto, garantindo a sua sustentabilidade e a promoção de uma regeneração urbana inclusiva e com soluções inovadoras, em prol do bem-estar e da coesão social